Arquivo da categoria ‘Deus é Meu Pai, Nosso Pai

Mark Wahlberg, agora um fuzileiro naval em «O único sobrevivente», vai à missa duas vezes aos domingos.

ReligionenLibertad.com

Mark Wahlberg, ahora un Navy Seal en «El único superviviente», va a misa dos veces los domingos
Mark Wahlberg, agora um fuzileiro naval em «O único sobrevivente», vai à missa duas vezes aos domingos

Carmelo Lopez-Arias / ReL – 1 janeiro 2014 – religionenlibertad.com

O único sobrevivente é baseado em uma história real.
O ator Mark Wahlberg se declarou católico fervoroso na revista Time

Um dos grandes filmes do ano, ‘O único sobrevivente [Lone Survivor], estreou na Espanha em 1º de janeiro. Dirigido por Peter Berg, conta uma história real sucedida no Afganistão em 2005. Quatro fuzileiros, da unidade de elite dos marinheiros, foram encarregados de eliminar um chefe taliban. O cumprimento da missão exigirá aos membros do comando dar o melhor de si mesmos, em uma prova de patriotismo e irmandade (ver abaixo o trailer).

Mark Wahlberg, de conhecidas convicções católicas, é o protagonista do filme, e em uma das entrevistas de promoção não duvidou em reafirmar sua fé quando o interrogaram por isso.

A fé “é a parte mais importante de minha vida. Não forço ninguém a ela, nem tento ocultá-la”, declarou ao Parade. E esta é sua resposta quando perguntam a ele como passa os domingos: “Se as crianças foram boas, compro donuts às 6:30 da manhã e digo para deixarem a mamãe dormir. Então vou à igreja às 7:30, e quando volto todos estão tomando o café da manhã. Depois, se as coisas não estiverem demasiado agitadas, volto para a missa das 10:30. Mas se algum dos meninos saiu, vamos vê-lo. É um bom dia para estar em família”.

Mark acabou de demonstrar como são importantes para ele os quatro filhos que tem com a modelo Rea Durham, com quem se casou na Igreja em 2009, depois de oito anos de convivência, depois de sua conversão. Em junho passado o ator, de 42 anos, tirou seu título de bacharelado, estudo que deixou em sua juventude, rebelde e cheia de problemas inclusive com a lei. Mesmo tendo a vida resolvida e para nada necessitava desse papel, quis fazê-lo por uma única razão, como explicou a People: “Não quero que meus filhos me digam: ´Você não fez, por que eu tenho que fazer?´ Todas as coisas que quiserem fazer no futuro exigem educação”.

Obter o título, além disso, foi para ele “um grande alívio”, pois teve que ir, entre outras aulas de seu velho instituto, as de matemática: “Perguntei-me: ´ Por que não fiz quando estava aqui? É muito mais difícil ter que voltar já quarentão para resolver todos estes problemas´”.

Também brinca comentando que com esses conhecimentos de matemática levará melhor seus negócios. Além de interpretar, Wahlberg produziu ‘O único sobrevivente, pois há anos combina sua faceta de ator com a de produtor. Sem faltar ao preceito dominical, isso sim. Por participação dupla se for preciso.

 o único sobrevivente

Gostou desse artigo? Comente-o com teus amigos e conhecidos:

http://religionenlibertad.com/articulo.asp?idarticulo=33105

Uma história sobre a poderosa ação protetora do Anjo da Guarda.

 Aciprensa.com

HISTÓRIAS URBANAS

Salva por um anjo

Uma história sobre a poderosa ação protetora do Anjo da Guarda

Um dia saí muito cedo de casa para deixar meu filho na casa de minha mãe. Ia dirigindo por uma avenida principal; tinha pouco tráfego e tudo estava bastante tranquilo. Sempre peço ao meu Anjo da Guarda que me ajude a dirigir corretamente meu veículo, e essa manhã meu Anjo se lembrou de meu pedido.

Um táxi que ia na pista esquerda, de maneira intempestiva chocou contra um poste e o derrubou. Eu me distraí vendo como tinha ficado o carro e não me percebi que o poste ia cair sobre meu carro. Nesse momento, a única coisa que lembro é que senti um peso sobre meu pé direito, o qual tinha no acelerador e o carro deu um tremendo arrancão.

Foram segundos, instantes que me salvaram a vida pois se o poste tivesse caído sobre sobre o para-brisas, tanto meu filho como eu teríamos tido lamentáveis consequências.

Estou certa que o Anjo que nos acompanha todas as manhãs foi quem empurrou meu pé. Por isso é importante não esquecer dos nossos “anjos da guarda” pois sempre estão velando por nós.

Nelda Villanueva

http://www.aciprensa.com

Fala Don Sante Babolin, o exorcista de Pádua: «Em um exorcismo o diabo me disse com raiva: Não suporto que se amem!»

ReligionenLibertad.com

Fala Don Sante Babolin, o exorcista de Pádua: «Em um exorcismo o diabo me disse com raiva: Não suporto que se amem!»

Habla el exorcista de Padua: «En un exorcismo el diablo me dijo con rabia: ¡No soporto que se amen!»

Don Sante Babolin

Roberto I. Zanini/Avvenire- 4 maio 2014-religionenlibertad.com

«Não duvidei nunca da existência do diabo e de sua influência no homem; mas desde que sou exorcista entendi o que significa verdadeiramente. O Maligno é capaz de destruir culturas, de destruir povos. Tem inveja do homem, inveja sobretudo sua capacidade de amar. Por causa desta inveja, muita gente sofre. Eu ensinei Filosofia na Faculdade Gregoriana durante mais de trinta anos. Quando voltei à Pádua, para minha diocese, o bispo Antonio Mattiazzo me confiou este ministério. Em sete anos eu atendi mais de 1300 pessoas com trastornos da alma mais ou menos graves. São homens e mulheres só da diocese porque eu decidi, de acordo com meus superiores, não acolher pedidos que venham de fora da diocese. Em parte porque não poderia e, em parte, porque é importante que os bispos compreendam a urgência do problema e não descuidem de nomear exorcistas».

Emergência pastoral
O que descreve Dom Sante Babolin, ordinário emérito de Filosofia com dezenas de publicações, é uma verdadeira emergência pastoral. Assim a define o mesmo. Seu último livro, que nasceu de sua experiência como exorcista em Pádua (L’esorcismo. Ministero della consolazione, Exorcismo, Ministério da consolação – ndt-), se apresenta como um manual de extraordinária eficácia, capaz de dar uma leitura do problema em cada um de seus aspectos: atento às urgências espirituais, sem mistificar a realidade e sem cair no sensacionalismo.

- No prólogo você fala, com o filósofo Maurice Blondel, que “a verdadeira filosofia é a santidade da razão”.
- É o argumento decisivo. Quando era professor (durante 40 anos: 7 no seminário de Pádua e 33 na Gregoriana), meu objetivo era unir a cátedra (a razão) com o altar (a oração), sem sobrepô-las, e considerei o ensino como um ministério. Agora que estou sempre ancorado ao altar sei que tenho que seguir usando a razão, o único instrumento que o homem possui para exercitar seu obrigado discernimento.

- E a santidade?
- Está no amor à verdade e no apego a Cristo, único exorcista; por isto, o único exorcismo é a Cruz, que venceu definitivamente o Maligno. Cristo é o novo Adão, arquétipo da humanidade nova, junto a sua Mãe, a Bem-Aventurada Virgem Maria, nova Eva, em uma relação de amor autêntico.

- O amor é buscado e vivido através da razão, ou seja, em total contraste com a cultura de hoje, que se inclina ao domínio dos sentidos.
- A cultura de hoje corre seriamente o perigo de permanecer sempre na superfície. Apreciam-se as sensações, se colecionam belas experiências… Mas não se raciocina. O tempo dedicado ao discernimento é mínimo. E isto é um problema.

- Um problema? Mas se as pessoas elogiam a espontaneidade, as coisas feitas seguindo…
- E não percebem que desta maneira a liberdade desaparece, enquanto a raíz da liberdade está na razão. A liberdade é a razão da razão, porque está na escolha, como sustenta Blondel em sua obra principal, L’Action (A ação, -ndt-), influenciada pelo De Consideratione de São Bernardo, que vê na liberdade do homem a imagem de Deus. Portanto, diminuir a razão quer dizer diminuir a liberdade, e significa ser irresponsáveis pela realidade em que vivemos, em aras do imediato, do “me apetece…”.

- É a ideologia da publicidade, dos meios de comunicação, das redes sociais.
- E dos jovens, mas cada vez mais também dos adultos, que dizem: “Se me apetece o faço”. Mas a lei, a livre convivência civil não se funda sobre o “me apetece”. Se há um compromisso não tenho que esperar que “me apeteça”. Vai nisso minha dignidade de ser humano. Tudo está vinculado: razão, liberdade, dignidade.

- Dignidade?
- Exato: dignidade. Porque a dignidade está vinculada à liberdade. Minha dignidade de ser humano se exercita no uso da razão, do discernimento, na consciência de saber o que sou: uma síntese perfeita da matéria e espírito. A santidade equivale à assinatura de subscrição: me reconheço nesse ser sagrado que sou.

- Mas temos dito que a vida de todos os dias vai sempre por outros caminhos.
- É típico do diabo afastar-nos da plenitude de nossa identidade de seres humanos. Sua arma mais sutil é a confusão, porque já não se sabe onde está a direita e onde está a esquerda, como às pessoas de Nínive, às quais foi enviado Jonas. Eu aprendi que quando há confusão o Maligno está sempre atuando. A outra arma é a sedução, a atração pelo imediato, pelo qual se encontra facilmente, pelo “tudo já, agora” e sem esforço. Mas não podemos ser livres se estamos dominados pelos sentidos e pelo instinto.

- Existem quem exalta o instinto como o que nos une à naturalidade.
- O instinto é o que temos em comum com os animais. Mas o ser humano é chamado a questionar as coisas segundo a razão. Não é escravo do instinto. É livre para dar cada dia uma resposta ao amor de Deus que se derrama sobre ele… A verdadeira liberdade se age amando. Somos livres para amar, não somos livres para ser livres.

- Como você explica em seu livro, cada vez que amamos, o diabo é derrotado?
- O Maligno sente-se incomodado pelo amor humano. Em um exorcismo o diabo me disse com raiva: “Não suporto que se amem!”. Referia-se a um casal casado. Isto me fez refletir muito sobre o papel fundamental do matrimônio. As armas que temos contra o demônio são duas: a oração, ou seja, a relação de amor com Deus Pai, e o amor pelo próximo.

O matrimônio é o sacramento do amor. Por esta razão o diabo quer destruí-lo. E muitos problemas se superam com um ato de perdão, que é um amor incrementado, que deixa “louco” ao diabo.

- Hoje, onde se esconde melhor o diabo?
- Diria que no que era o centro do pensamento grego e que está na raíz do mundo ocidental, ou seja, a dialética do logos, a distinção entre verdadeiro e falso, entre o bem e o mal: hoje, o diabo tem mais fácil o caminho para tentar aniquilar esta característica essencial do homem que quer ser livre.

Também por causa da influência de ideologias do tipo oriental (new age) se está afirmando com predomínio um modelo de pensamento analógico, ou seja, fundado sobre a verosimilhança, não sobre a verdade. Desta maneira se facilita a desorientação, se privilegia o pensamento líquido, a ciência se converte em escrava da técnica por que tudo o que é tecnicamente factível se converte em cientificamente válido… E, como temos dito, onde não existe um livre uso da razão não pode haver amor e o diabo tem o campo livre.

Gostou desse artigo? Comente-o com teus amigos e conhecidos:

http://religionenlibertad.com/articulo.asp?idarticulo=35366

Testemunho de uma mãe que perdeu as pernas para salvar seu filho de um incêndio.

aleteia.org/es

«Beijei-o, lhe disse que lhe queria e saltei com ele pela janela».

Testemunho de uma mãe que perdeu as pernas para salvar seu filho de um incêndio
Alfa y Omega – 20/05/2014

Christina Simões, uma jovem de 23 anos do estado de Massachusetts, ficou paraplégica ao saltar de sua casa – terceiro piso- para salvar seu filho de 18 meses das chamas. Não poderá voltar a caminhar, mas afirma que não lhe ocorreu melhor forma de dar sentido a sua vida que salvando seu pequeno. Deu- lhe a vida, pela segunda vez…

«Beijei-o, disse que lhe queria e saltei com ele pela janela». A jovem Christina Simões viu claro o que tinha que fazer ao ver que as chamas e a fumaça invadiam sua casa. Ela e seu filho Cameron, de 18 meses, ficaram presos após um terrível incêndio no edifício em que viviam. Não podia continuar esperando que chegasse ajuda, e entendeu que a única saída possível era a janela.

Pegou o menino nos braços e saltou de costas. Mais de dez metros de queda que tratou de amortecer só com os pés para, com os braços, protegendo seu filho. O pequeno saiu ileso, mas ela rompeu várias vértebras e, de imediato, perdeu a sensibilidade nas pernas. Arrastou o pequeno fora do alcance dos escombros incendiados que começavam a cair e, pouco depois, os dois eram levados ao hospital.


Após uma primeira cirurgia de mais de seis horas, a jovem foi estabilizada e começou um longo processo de recuperação e reabilitação, sempre acompanhada de seu pequeno. Agora, junto com Cameron e seu pai, começa uma nova vida muito diferente da que levava poucas horas antes do incêndio, mas para ela repleta de sentido: «Voltaria a fazer, é claro. Toda a dor que tenho que passar agora tem sentido ao ver meu filho correr são e salvo», dizia às câmeras de televisão que fizeram eco de sua história.

Sua família e seus amigos se mobilizaram em busca de fundos para os jovens pais, que não tem um seguro que cubra os elevados gastos derivados da nova situação de Christina. Mesmo muitos a qualificando de heroína, ela pontualiza: «Só sou mãe».

Artigo publicado originalmente por Alfa Y Omega

http://www.aleteia.org/es/salud/contenido-agregado/le-bese-le-dije-que-le-queria-y-salte-con-el-por-la-ventana-5260985048760320

Megan Alexander: Tem uma bela resposta para ‘Porque Fiquei virgem até o casamento’

LifeNews.com

meganalexander

“Inside Edition” Host Megan Alexander: Tem uma bela resposta para ‘Porque Fiquei virgem até o casamento’

por Steven Ertelt | Washington, DC | 5/1/14

Em um dia e idade quando algumas mulheres estão leiloando sua virgindade como vendem um carro usado, “Inside Audition” a apresentadora Megan Alexander tem uma bela resposta de “porque ela permaneceu virgem até o casamento”.

Megan Alexander partilha detalhes íntimos e sinceros sobre como ela decidiu permanecer virgem até a noite de núpcias. Megan Alexander – é uma correspondente de longa data para “Inside Edition”, que é geralmente quem faz as perguntas para celebridades de Hollywood revela a Fox News por que ela está na contra-cultura na questão do sexo.

Megan Alexander: “Eu acho que há muita pressão sobre as crianças de hoje para começar a ter relações sexuais. Se a minha história encoraja alguém a ter o seu tempo e encontrar a pessoa certa, então, esse era o meu objetivo “, diz ela.

“Nossa lua de mel foi romântica, especial e divertida, mas também era estressante e constrangedora”, escreveu ela. “Nós colocamos muita pressão em nós mesmos para termos o aspecto sexual do nosso casamento todo planejado. . . Esta parte íntima do relacionamento leva tempo. “

A partir da entrevista :

“O sexo está em toda parte, porque vende,” Alexander disse a Fox411. “É em capas de revistas, é em programas de televisão, é no cinema e eu acho que é bastante incomum quando alguém fala sobre a espera para o casamento na indústria do entretenimento.”

Para Alexander, a decisão de se abster de sexo antes do casamento foi fácil. Crescer em um lar cristão e afirmando sua fé para si mesma no 7 º ano, a nascida em Seattle sempre foi forte em suas crenças.

“Eu reivindiquei a minha fé para mim por volta do curso secundário”, revelou. Seus pais a enviaram para um acampamento de verão cristão onde ela foi capaz de explorar a sua fé em sua própria pele pela primeira vez. “Eu acho que nunca devemos apenas fazer o que os nossos pais nos dizem para fazer. Devemos encontrar a nossa fé e reivindicá-la para nós mesmos. Então eu aceitei Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador na 7 ª série e tomei essa decisão sozinha e isso foi a melhor coisa que eu já fiz. “

Alexander queria ajudar os outros a encontrar a sua fé, especialmente os jovens que são bombardeados com sexo todos os dias nos meios de comunicação. É por isso que ela escreveu um artigo para a Revista WHOAwomen sobre o namoro, relacionamentos e sexo.

“Eu decidi falar, porque eu sinto que os jovens de hoje, especialmente os adolescentes e jovens do novo milênio em seus 20 anos e 30 anos, há tanta pressão para apenas se envolver [fisicamente] e pensar que isso é normal”, disse ela. “Eu queria que as pessoas soubessem, ei! há outra opção. Esta é a opção que eu escolhi e pode funcionar para você também. “

Esperando para fazer sexo não é fácil, disse a correspondente da “Inside Edition”. Ela credita aos bons amigos, ao apoio da família e sua fé forte para a manutenção de sua forte decisão antes de se casar. Sem mencionar sua carreira ocupada.

CLIQUE SE VOCÊ é PRÓ-VIDA !

“Eu acho que a família é importante, o apoio da família, bons amigos são importantes, obviamente, a minha fé, eu acredito que é o melhor projeto de Deus para nós”, explicou ela sobre sua decisão. “Eu tinha objetivos e sonhos e fiquei muito ocupada. Eu digo às pessoas que eu estava muito ocupada na minha adolescência e nos meus vinte anos perseguindo minha carreira para ter problemas com os meninos. “

Alexander sempre soube que ela iria ficar virgem até sua noite de núpcias e seu marido Brian Cournoyer respeitou a decisão dela.

Compartilhe este post:

http://www.lifenews.com/2014/05/01/inside-edition-host-megan-alexander-has-a-beautiful-answer-to-why-stayed-a-virgin-until-marriage/

Vittorio Messori desmonta o mito da “cadeira gestatória” dos Papas.

Os Blogs de ReligionenLibertad.com

Messori desmonta el mito de la "silla gestatoria" de los Papas

Messori desmonta o mito da “cadeira gestatória” dos Papas

Jorge Soley – 11 abril 2014 – religionenlibertad.com

O sempre aguçado Vittorio Messori segue ativo e mesmo fazendo tempo que não se publica nenhum de seus livros na Espanha, segue valendo a pena seguir o que escreve. A combinação de amor à Igreja, ausência de complexos, paixão pela verdade e liberdade de espírito segue levando luz onde outros se empenham em semear sombras.

Recentemente, nas páginas de ‘Il Timone’, analisava as palavras do jornalista Vittorio Feltri em ‘Il Giornale’, a propósito dos usos e costumes do cerimonial do Vaticano. Feltri escrevia: “ O que podemos dizer da cadeira gestatória, em voga até poucos anos? O chefe do Cristianismo era levado a passeio em cima de um trono sobre travessões suportado por pobrezinhos se fazendo de cavalos ou asnos”

Messori não podia deixar de passar a ocasião de apontar um pouco do rigor histórico (algo que os inimigos da Igreja, por certo, exigem de seus adversários mas não aplicam a eles mesmos):

“O tema é só aparentemente secundário, porque desde o século XVIII é um lugar comum da polêmica anticlerical (incluindo Voltaire) como exemplo da violência sobre o homem por parte daqueles que se atrevem a nomear-se como representantes de Cristo na Terra. O uso da cadeira gestatória por parte dos papas não era o resíduo da crueldade escravista dos faraós egípcios ou dos imperadores do Baixo Império romano.
Era, pelo contrário, um valioso “serviço” prestado aos devotos que se amontoavam nas cerimônias pontifícias e que se queixavam de não poder ver o Papa quando este passava benzendo-os. Não é casualidade que o uso da cadeira se limitasse às grandes basílicas, começando com a de São Pedro e a de São João de Latrão, ou em liturgias solenes ao ar livre que atraíam as multidões. Em resumo, algo equivalente às grandes premiéres na atualidade. Não devemos esquecer que milhares de peregrinos chegavam continuamente a Roma desde os lugares mais distantes ut videre Petrum, para ver Pedro; e que tivesse sido muito grande sua decepção se, apertados entre a multidão, não pudessem contemplar seu rosto e sua mão levantada em sinal de bênção.
Paulo VI disse ao seu amigo Jean Guitton que ficar nessa cadeira era “bastante incômodo” pelos vai-vens, mas que o suportava com gosto por uma questão de justiça: assim todos aqueles que desejassem – e não somente aqueles que desfrutavam de privilégios e de primazia – podiam ver o Santo Padre e serem vistos por ele. Pelo mesmo motivo João XXIII fez um amplo uso da cadeira gestatória. Tanto João Paulo II como Bento XVI não quiseram voltar à cadeira gestatória (sobretudo para evitar equívocos como o de Vittorio Feltri) […].

Em qualquer caso, levar sobre seus ombros o Santo Padre era uma grande honra que disputavam as grandes famílias de Roma. Inclusive hoje em dia há uma viva competência em antigas e nobres cidades como Viterbo e Gubbio para formar parte do grupo de escolhidos que têm o privilégio de levar cada ano a “máquina de Santa Rosa” e os “círios “, que são também uma pesada carga. Porém sem sair do Vaticano, temos, entre outras coisas, a ordenação com a qual Pio IV, em meados do século XVI, regulou o serviço da cadeira, reservando-a só para “cavalheiros romanos”. Com o tempo, o uso se fez mais profissional e os “Sediari Pontifici” (este é o nome oficial) se uniram a outra categoria cobiçada e honrada, os Servidores do Papa e os cardeais, criando uma irmandade que teve a honra de uma igreja no Vaticano, junto à porta de Santa Ana. Só uma mínima parte do trabalho dos Sediari consistia no transporte aos ombros, do Papa: como já dissemos, se recorria à cadeira gestatória só em certas ocasiões. Vestidos com elegante libré, com o escudo de armas papal bordado no peito, eram parte da “Família do Santo Padre” e estavam portanto entre os que tinham maior intimidade com ele. Cuidavam e entretinham as visitas nas antecâmaras e um deles tinha a honra de dormir na sala adjacente a do Papa, que dispunha de uma campainha para avisar, sempre pronto para atender seu chamado. Enquanto o transporte nos ombros do trono papal, realizavam 12 pessoas, três para cada um dos quatro travessões. Em geral se trataba de percorrer umas poucas dezenas de metros, nada difícil para pessoas jovens e robustas, porque a partir de certa idade se lhes designava só a sala de serviços de câmara. O duro trabalho de muitos trabalhadores ou pedreiros de hoje é muito mais intenso e prolongado, suportado sem descanso até a idade da aposentadoria. Sem esquecer o satisfatório e seguro salário (coisa rara e preciosa nos tempos que correm) r, sobretudo, a gratificação pessoal: como disse, o serviço direto ao Vigário de Cristo, e sobretudo, esse esforço para mostrá-lo para a multidão de devotos, foi considerado entre os serviços mais prestigiosos e meritórios, digno inclusive de uma recompensa sobrenatural. Assim é a história: diga o que diga a superficialidade jornalística, aqueles colaboradores na função pastoral do Papa eram qualquer coisa menos “pobrezinhos”, nem tampouco estavam se tornando “cavalos e asnos”.

Jorge Soley

Jorge Soley Climent é um quarentão, natural de Barcelona, felizmente casado e pai de seis filhos. Apaixonado pela leitura, história e o futebol humilde e autêntico, sua profissão de economista lhe impõe o agradável dever de viajar com frequência à América hispana. Está convencido de que ser católico significa ser universal, de que razoável é a fé e que a Igreja, apesar do empenho que pomos nos homens para enfeiar seu rosto, é Mãe e Tesouro de critério seguro.

Jorge Soley, jorgesoley@yahoo.com, é autor, editor e responsável pel Blog ‘Mientras el mundo gira’, alojado no espaço da web de http://www.religionenlibertad.com

Gostou desse artigo? Comente-o com teus amigos e conhecidos:

http://religionenlibertad.com/articulo.asp?idarticulo=34964

Hercules vs Gosnell: Kevin Sorbo subscreve o filme feito para a TV sobre casa de horrores abortista.

lifesitenews.com

Kevin-Sorbo-Family

 

Hercules vs Gosnell: Kevin Sorbo subscreve o filme feito para a TV sobre casa de horrores abortista

POR BEN JOHNSON

HOLLYWOOD, Califórnia, 04 de abril de 2014 ( LifeSiteNews.com ) – A proposta do filme ” 2.100.000 de dólares, verdadeiro crime sobre a vida do abortista e serial killer Kermit Gosnell”  teve um impulso gigantesco de força.

Kevin Sorbo de Hollywood, conhecido por interpretar Hércules e, mais recentemente estrelando o enorme sucesso “Deus não está morto”, fez um vídeo pedindo às pessoas para ajudarem a trazer a história da “casa dos horrores” assassino para a tela em cores vivas.

Sorbo e sua esposa, Sam, disse que o apagão da mídia sobre os assassinatos horríveis e condições imundas de instalações da Gosnell incentivou-os à ação.

“Ele entregou ao vivo, bebês viáveis ​​que choraram e lutaram pela sua vida antes que ele os assassinasse, cortando sua medula espinhal com a tesoura”, disse o ator. “Ele o chamou de ‘o cortador’.”

O casal, então, leu as páginas do relatório do grande júri. O julgamento em si, no entanto, atraiu pouca atenção da mídia.

“Essa história teve quase nenhuma cobertura da mídia, porque a mídia não quer falar sobre isso orientada pela agenda”, disse Kevin Sorbo. “Ninguém quer falar sobre isso, porque os detalhes são muito prejudiciais para certas agendas políticas”.

Eles encorajaram os espectadores a apoiar Phelim McAleer e Anne McElhinney, jornalistas irlandeses que procuram criar um filme feito para a TV ao longo das linhas de um CSI episódio.

O filme, Sam disse, “será um testemunho visual para a curta vida e a morte horrível de Baby Boy A e todos os outros bebês Gosnell mortos.”

O casal apontou para as pessoas dos jornalistas Indiegogo.com crowdfunding página .

Clique em “como” se você quiser acabar com o aborto !

Sam disse à mídia de entretenimento que Gosnell “é um homem que parecia gostar de proteção sob a lei, porque o aborto é uma questão tão política que eles se recusaram a investigá-lo por anos, embora houvesse reclamações por décadas.”

http://www.lifesitenews.com/news/hercules-vs.-gosnell-kevin-sorbo-endorses-made-for-tv-movie-about-house-of/#at_pco=smlwn-1.0&at_tot=1&at_ab=per-14&at_pos=0

A virgindade é uma Sagrada escolha, não um Estado Vergonhoso.

lifenews.com

sean-lowe-Giudici

A virgindade é uma Sagrada escolha, não um Estado Vergonhoso

por Christina Martin | Washington, DC | LifeNews.com | 3/27/13 03:44

A nossa sociedade é obcecada em falar sobre sexo, independentemente se você está tendo ou não. Tomemos por exemplo a reportagem que em Março saiu na revista ‘People Magazine’, com o título de “Bachelor’s Sean & Catherine, Waiting for Our Wedding night.” (Noivo’s Sean & Catherine, à espera da nossa noite de núpcias). “Para tornar as coisas um pouco mais claras, acrescentaram abaixo do título, “Sem sexo até que possa fazer”. ‘”A reportagem intriga aqueles que coçam a cabeça, perguntando-se a sério por que alguém (suspiro) tem esperar para ter relações sexuais.

Eu não sou uma fã de The Bachelor. Vinte ou mais meninas saindo com um cara que professa seu amor por várias meninas não é a minha preferência. No entanto, eu acho que é interessante que a América fique tão intrigada com o status de Sean “nascido-novamente virgem”. A “BAV” na definição de Sean significa alguém que teve relações sexuais no passado, mas já não tem mais. Uma palavra comum e aceita para a escolha do estilo de vida é “celibatário”.

Em 2012, com 29 anos de idade, estrela do atletismo olímpico Lola Jones fez manchetes por essa declaração sobre a sua virgindade:

É apenas algo, um presente que eu quero dar para o meu marido. Mas por favor, entendam que esta jornada tem sido difícil. Se há virgens lá fora, eu só quero que elas saibam, é a coisa mais difícil que eu já fiz na minha vida. Mais difícil do que treinar para as Olimpíadas, mais difícil do que se formar na faculdade, foi para ficar virgem antes do casamento.

Lolo_Jones

Lolo_Jones

Foto por Erik van Leeuwen.

Embora a decisão de Lola fosse respeitada por alguns, outros abertamente a ridicularizavam por isso. The Blaze relata :

Após Jones chegar em quarto lugar durante os finais dos obstáculos de 100 metros na terça-feira, muitos usuários do Twitter começaram a falar sobre sua vida sexual. Usando a perda do lugar como uma oportunidade para desancar o atleta, eles pareciam alegar que, se ela fosse sexualmente ativa, talvez tivesse um desempenho melhor nos Jogos Olímpicos.

O astro do futebol Tim Tebow é considerado um dos virgens mais famosos do esporte. Ashley Madison (o site desprezível que configura relações adúlteras) ofereceu 1 milhão de dólares a qualquer um que pudesse oferecer prova de ter tido relações sexuais com Tebow. O CEO e Fundador Noel Biderman disse em uma notícia de lançamento :

“Esportes e sexo (e, claro, a infidelidade) andam de mãos dadas. Se o Sr. Tebow está de fato se abstendo de relacionamentos adultos, gostaria de encorajá-lo a encontrar uma senhora simpática ou duas e desfrutar de sua juventude e fama, tanto quanto possível.

“Estamos além dos dias em que o sexo pré-marital tinha um estigma social, e é minha esperança que em breve também vamos sentir o mesmo sobre infidelidade.”

Biderman pode estar parcialmente certo em suas suposições que estamos além dos dias em que o sexo antes do casamento tinha um estigma social. No entanto, sua recompensa de milhões de dólares nunca foi reivindicada. Isso prova ainda existem pessoas no mundo que valorizam a espera para o casamento.

O Washington Times relata esses fatos sobre adolescentes e a atividade sexual:

De acordo com uma pesquisa de 2011 do Centro Nacional para Estatísticas de Saúde, 68 por cento dos rapazes e 67 por cento das garotas com idades entre os 15 e 17 anos nunca tiveram relações sexuais. Uma pesquisa de 2009 encomendada por agências governamentais, incluindo o Departamento de Saúde e Serviços Humanos ainda descobriu que existem adolescentes que se opõem às relações sexuais antes do casamento em geral e para si mesmas, e 53% são fortemente contra ou pouco concordam com valores de não ter relações sexuais antes do casamento e 62% fortemente concordam ou pouco que o sexo é algo que só as pessoas casadas devem fazer.

Eu achei esforços de um grupo de super-encorajadoras. Pinky Promise é um movimento que compreende 9.000-plus principalmente mulheres minoritárias que já se comprometeram a abster-se de sexo antes do casamento, se são solteiras e permanecem fiéis aos seus cônjuges, se já se casaram.

Algumas pessoas acreditam que a espera ‘até o casamento’ é uma piada. A comediante Chelsea Handler recentemente fez notícia com comentários rudes que fez assumindo que as múltiplas rupturas de relacionamento de Taylor Swift foram o resultado dela ser uma virgem que se recusa a desistir. Chelsea, que escreveu o livro ‘My Horizontal Love Life’: Uma coleção de uma noite só, ela não tem nenhum problema em compartilhar suas aventuras sexuais com o mundo, ela acha que a virgindade é motivo de riso.

Abster-se de sexo é uma decisão que deve ser respeitada. As pessoas que escolheram a abstinência estão fazendo uma escolha corajosa. Sou uma mulher de 31 anos de idade, que tenho orgulho de admitir que eu sou uma virgem que está esperando por minha noite de núpcias para fazer sexo. Eu sinceramente apoio a educação da abstinência porque acredito que ela ensina as pessoas valiosas lições sobre auto-estima, auto-disciplina, paciência, compromisso, lealdade e responsabilidade.

Mesmo o ‘Planned Parenthood’ tem que admitir que a abstinência tem seus benefícios. Em seu site, eles compartilham essas perguntas e respostas:

Quais são os benefícios da abstinência?
A Abstinência não tem efeitos colaterais médicos ou hormonais,
é livre.
As pessoas escolhem a abstinência para:
-evitar a gravidez
-prevenir doenças sexualmente transmissíveis
-esperar até que estejam prontas para uma relação sexual
-esperar para encontrar o parceiro certo
-divertir-se com parceiros românticos sem envolvimento sexual
-concentrar em escola, carreira, ou atividades extracurriculares
-apoiar as crenças e valores pessoais, morais ou religiosas
-superar uma separação
-curar a partir da morte de um sócio
-seguir os conselhos médicos durante uma doença ou infecção
Quais são as desvantagens de abstinência?
Há poucas desvantagens de abstinência.

As pessoas podem achar que é difícil abster-se por longos períodos de tempo e podem terminar o seu período de abstinência sem estarem preparadas para se protegerem contra a gravidez ou infecção.
Vantagens especiais para Adolescentes: as relações sexuais apresentam riscos. A abstinência é uma boa forma de adiar a tomada de riscos até que são mais capazes de lidar com eles. Mulheres que se abstêm até seus 20 anos – e que têm menos parceiros em suas vidas – podem ter certas vantagens para a saúde sobre as mulheres que não o fazem. Elas são menos propensas a receber DSTs. Porque elas são menos propensos a ter uma doença sexualmente transmissível, elas também são menos propensas a se tornarem inférteis ou desenvolver câncer cervical.
Planned Parenthood, obviamente, não acredita que a abstinência é o melhor caminho para tomar antes do casamento. Eles vêem isso como apenas uma escolha entre muitas. A organização se opõe a educação da abstinência e promove o controle da natalidade e o aborto. Planned Parenthood fala sobre a abstinência, mas a sua mensagem é dirigida principalmente para os adolescentes.

Tendo 18 ou até mesmo 21 anos não significa automaticamente que você esteja pronto para se envolver em atividade sexual. Mulheres e homens em seus 20 anos e 30 anos ainda sofrem conseqüências físicas e emocionais do sexo fora do casamento. Um homem sábio disse uma vez que não há preservativos para proteger o coração humano.

O sexo é um presente bonito e poderoso. Eu acredito que o melhor é compartilhar o ambiente íntimo e seguro de um relacionamento conjugal. Se você é virgem, ou mesmo um “BAV”, como The Bachelor disse, não desanimamos. Sua decisão de se abster pode ser o peso de piadas das pessoas, mas é uma escolha sagrada que você nunca deve se envergonhar.

LifeNews Nota: Christine Martin escreve para Vivo Action News e esta coluna foi reimpressa com permissão.

http://www.lifenews.com/2013/03/27/virginity-is-a-sacred-choice-not-a-shameful-status/

«Para que seus filhos sejam felizes deve deixá-los sofrer…mas com humor»: e serve também para adultos.

ReligionenLibertad.com

«Para que tus hijos sean felices debes dejarles sufrir...pero con humor»: y sirve también en adultos

Fernando Sarrais, autor de «Maturidade psicológica e felicidade»

«Para que seus filhos sejam felizes deve deixá-los sofrer…mas com humor»: e serve também para adultos.
Não precisa deixar que as crianças se assustem… que aprendam a gerir seu aborrecimento ou frustrações com humor.

Laura Peraita / ABC- 15 março 2014-religionenlibertad.com

Fernando Sarrais, psiquiatra e psicólogo da Clínica Universidade de Navarra é autor de «Maturidade psicológica e felicidade» (em Eunsa.es), e dá algumas chaves para serem felizes. Está convencido de que alcançar a felicidade é possível «mesmo sendo limitada», mas para conseguir faz falta um grande esforço.

— Por que todo o mundo quer ser feliz e muito poucos conseguem?
—Conseguir a felicidade é algo muito valioso, custa consegui-la. Muitos preferem não se esforzar e ficam pelo caminho. Por isso existe tantas adições à comida, ao sexo, ao álcool… porque renunciam à felicidade e, por sua frustração, preferem optar pela postura cômoda de se sentir bem a curto prazo, em vez de lutar por serem felizes.

—Como se pode mudar esta atitude?
—As pessoas não sabem sofrer, têm medo. As famílias, por exemplo, tratam de proteger cada vez mais seus filhos e não deixam que sofram. É um grande erro. Estamos tornando crianças medrosas. A vida é dura e difícil e as crianças devem estar preparados para ela. Podemos educá-los com milhares de pequenos exemplos cotidianos: se a criança tem fome, deixe que aguente até a hora de comer; se está cansada, não precisa carregá-la nos braços; se se aborrece, não devemos fazer piruetas para que ria… Existem mil maneiras de deixá-los sofrer, mas com humor.

—Sofrer com humor?
—O exemplo deve ser dado pelos pais. Se se perderem as chaves ou buzinarem num semáforo, não deve gritar e se desesperar. É melhor dizer algo assim como «devem ter criado pernas as chaves e não sei onde se meteram…», porque a criança aprenderá a enfrentar situações similares com um tom otimista.

 

—Qual é a chave para ser feliz?
—Fazer o que alguém deve fazer e porque lhe dá vontade; porque se a razão o diz, é bom. É um assunto de maturidade psicológica. Quando alguém faz algo que não quer (por medo, vergonha…) se sente deplorável, não há sentido livre para agir de outra maneira. Sua razão não domina sobre suas emoções.

»Estudos psicológicos deixaram patentes que o fator que determina a felicidade é a personalidade. Uma pessoa pode ser milionária, mas se for avarenta, cada vez que paga será um infeliz; um homem pode ter uma mulher espetacular, mas se for ciumento, sofrerá continuamente. Para conseguir ser dominar é preciso que cada indivíduo aprenda a se meter dentro de si; ou seja, desenvolver sua introspecção, e contemplar, analisar e estudar como se sente, sobretudo ante os momentos afetivos, positivos ou negativos, para se familiarizar com eles, conhecer sua origem, seu impulso em certas condutas… Esta tarefa requer treinamento e tempo.

—Quem deve se ocupar disso?
—Nas escolas há muita matemática, língua… mas no ensinam os alunos a tirar o medo, serem seguros, aumentar a auto-estima; em definitivo a ser dono de si mesmo. Os educadores devem ajudá-los a realizar estes juízos racionais sobre os afetos, animando-os a pensarem como se sentem, se o que sentem se ajusta em suas circunstâncias e se as ações que realizaram são as adequadas. Faz falta que aprendam a pensar e decidir antes de agir, a controlar as emoções negativas para agir com liberdade.

Gostou desse artigo? Comente-o com teus amigos e conhecidos:

http://religionenlibertad.com/articulo.asp?idarticulo=34426

«Católico e praticante da New Age? Uma mistura impossível»: o Padre Gonzalo Len explica porque.

ReligionenLibertad.com

«¿Católico y practicante de New Age?: una mezcla imposible»: el padre Gonzalo Len explica por qué
«Católico e praticante da New Age? Uma mistura impossível»: o Padre Gonzalo Len explica porque.

Gilberto Perez/ReL- 6 março 2014-religionenlibertad.com

Gonzalo Len aponta todas as chaves da incompatibilidade entre ser católico e professar toda uma série de crenças pseudo-espirituais.

Florais de Bach, yoga, chakras, tarot, esoterismo, reencarnação, reiki, mediunidade. Todos eles são ingredientes de um pastel muito mais venenoso do que se crê: a New Age.

“É um fenômeno que se apresenta como a alternativa global para os problemas e desafios de nosso tempo”, explica o Padre Gonzalo Len em seu livro recentemente publicado pela editora Stella Maris, ‘New Age: o desafio’, com a dificuldade de ser “complexo e ilusório” . No entanto, como disse monsenhor Berzosa, bispo da Cidade Rodrigo, no prólogo da obra, “estamos rodeados, no cotidiano, do espírito da New Age”.

São numerosas as manifestações em que se apresenta, e inclusive muitos cristãos se deixaram impregnar de seu espírito, sem ser plenamente conscientes de que o fundo dessas práticas e crenças, se afastam totalmente dos ensinamentos do evangelho.

Em seu livro, ‘New Age: o desafio’, o Padre Gonzalo Len divide em três partes o caminho percorrido pela New Age. Em primeiro lugar, busca compreender o que significa esta nova tendência com a dificuldade que implica explicar e relacionar os diferentes tentáculos que surgem dela. Como afirma monsenhor Berzosa, “não é uma simples moda, nem uma seita, nem uma religião milenarista para o terceiro milênio; é uma nova sensibilidade cultural, uma cosmovisão, um novo paradigma”. “É um grande polvo com muitos tentáculos em diversos campos (medicina, arte, pensamento, literatura, cinema, etc) e que é muito difícil ver com os olhos”.

Em segundo lugar, proporcionar um olhar crítico da fé, descobrindo como é um sinal do modelo cultural que critica e como é agressiva contra a fé, apesar de sua aparência inócua. “Não vai contra as religiões, mas trata de superá-las «de dentro». Incrusta-se nelas como uma bomba-relógio, para fazê-las explodir no interior”.

E, finalmente, define os desafios que este novo modelo de espiritualidade apresenta para a Igreja. Desde a indisposição para a fé que subjuga, consequência de uma cosmovisão oposta a da fé, em sua presença em muitos campos da vida cotidiana, que levam o católico a se formar “para participar na missão evangelizadora da Igreja, para ser apóstolo”.

De uma maneira clara, ágil e esclarecedora, o Padre Len nos fala do desafio que representa a New Age para o cristão e as chaves do tipo teórico para conhecer o que se esconde atrás dela.

FICHA TÉCNICA COMPRA ONLINE

Título: New Age. El desafío Ocio Hispano (papel)

Autor: Gonzalo Len Amazon (ebook)

Editora: Stella Maris

Páginas: 224 páginas (papel)

Preço 9,90 euros

Gostou desse artigo? Comente-o com teus amigos e conhecidos:

http://religionenlibertad.com/articulo.asp?idarticulo=34289

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 323 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: