Uma imagem da Virgem, carbonizada pelos ataques na Nigéria, avivou a fé dos católicos.O arcebispo animou a colocar as cinzas das igrejas queimadas diante da imagem carbonizada da Virgem Maria.

carifilii.es

Una imagen de la Virgen, carbonizada por los ataques en Níger, aviva la fe de los católicos

Uma imagem da Virgem, carbonizada pelos ataques na Nigéria, avivou a fé dos católicos.

O arcebispo animou a colocar as cinzas das igrejas queimadas diante da imagem carbonizada da Virgem Maria.

Aciprensa/ReL – 28 janeiro 2015 – religionenlibertad.com

Uma imagem da Virgem Maria que ficou carbonizada após os ataques dos islâmicos em meados do mês em Niamey (Nigéria), avivou a fé dos cristãos neste país africano, onde o arcebispo emérito da capital, Mons. Michel Cartatéguy, animou os sacerdotes a recolher as cinzas que restaram de suas paróquias incendiadas para serem usadas na Páscoa.

Em 22 de janeiro Michel Cartatéguy reuniu todos os sacerdotes para celebrar uma cerimônia em torno da imagem, que ardeu durante os ataques de 16 e 17 de janeiro.

Segundo informou o site da web da Igreja Católica na Nigéria (http://eglisecatholiqueauniger.org), esta imagem da Virgem que ficou carbonizada “é algo muito simbólico! Porque esta imagem, pertencente à paróquia de Santo Agostinho, é um dos raros objetos de piedade que não se consumiram nos incêndios que afetaram as igrejas”.

Os sacerdotes ofereceram à Virgem Maria seu sofrimento e confiaram à Mãe de Deus as esperanças da comunidade cristã, aturdida após os assaltos contra os cristãos, onde morreram 10 pessoas e 12 igrejas católicas foram queimadas [além de numerosas igrejas protestantes. Nota de CariFilii].

O Arcebispo Cartatéguy convidou cada comunidade de sacerdotes a depositar as cinzas recolhidas de suas paróquias aos pés da imagem da Virgem. “Esta imagem representa todas as imagens que foram queimadas… e são a prova de que Deus não nos abandona… estas cinzas que temos hoje aqui, se usarão para acender a chama do círio Pascal. Sim, cinzas, em que também nós nos converteremos!”, afirmou Mons. Cartatéguy.

Os ataques dos islâmicos foram em protesto elas caricaturas de Maomé que a revista francesa Charlie Hebdo publicou depois do atentado em Paris em 7 de janeiro passado.

Mesmo assim, se informou que devido ao fato de que as igrejas ficarem gravemente destruídas, as Missas do domingo de 25 de janeiro se celebraram sob barracas de campanha, com assentos emprestados e altares improvisados. Inclusive em alguns casos os sacerdotes tiveram que celebrar as Missas sem suas vestes litúrgicas, porque também foram queimadas nos ataques.

Durante a homilia, o novo Arcebispo de Niamey, Mons. Laurent Lompo, e Mons. Cartatéguy, animaram os fiéis a alimentar a esperança e pedir para que não voltassem a suceder atos de vandalismos, cujos danos -tetos destruídos, muros arrasados, e bancos calcinados- se estimam em mais de dois milhões de dólares.

Fotos dos destroços e a reconstrução (artesanal e precária), assim como contas para donativos às missão católica na Nigéria no Facebook da Igreja na Nigéria.

Gostou desse artigo? Comente-o com seus amigos e conhecidos:
http://www.carifilii.es/articulo.asp?idarticulo=208

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: